Postado por em 23-11-2017 Imprimir . A+ . A-

SISE PARTICIPA DO IV ENCONTRO PEDAGÓGICO LATINO AMERICANO DA IEAL

SISE PARTICIPA DO IV ENCONTRO PEDAGÓGICO LATINO AMERICANO DA IEALcner

Nos dias 15, 16 e 17, dirigentes do SISE participaram do IV Encontro Pedagógico Latino Americano, promovido pela IEAL – Internacional da Educação Para a América Latina, em parceria com a CNTE – Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação, outras confederações e centrais sindicais como a CUT e a CTB. A IEAL congrega a imensa maioria dos sindicatos da área da educação no continente, desde a Argentina até o México e Caribe.

A tônica do encontro girou em torno do crescimento das direitas no continente e no mundo e as suas consequências práticas para os processos educacionais, bem como para a questão da perda, garantia e conquista de direitos dos trabalhadores da educação. Foram diversas conferências que trataram principalmente da continuidade e do fortalecimento de um autêntico movimento pedagógico latino americano. De tudo que foi discutido, destacamos aqui a intensa troca de informações entre as delegações, buscando a afirmação de uma identidade educacional no continente; notória também foi a fala do Ministro da Educação da Bolívia Roberto Aguilar Gómez, que fez um relato sobre o recente processo de transformação pelo qual a educação daquele país passou, mostrou através de dados e compartilhamento de experiências, como conseguiram reduzir o índice de analfabetismo de 13 para 2,8%. Também é necessário destacar os intensos e reveladores debates em torno da temática da privatização e mercantilização do ensino.

Após todas as discussões o encontro foi culminou com a criação e aprovação da Declaração de Belo Horizonte, documento que norteará a as estratégias de luta dos sindicatos do continente até o próximo encontro.

Dois momentos diferenciados chamaram a atenção na programação. Primeiro foi o espaço de compartilhamento de experiências pedagógicas, com destaque para a experiência hondurenha que utiliza os aspectos naturais das pequenas comunidades como pressuposto para a alfabetização. E para a Escuela Pública Itinerante criada pela CTERA – Confederación de Trabajadores de la Educación de la República Argentina, movimento que tem levado ás várias regiões daquele país discussões sobre a necessidade da reafirmação de uma escola pública, gratuita e de qualidade. O segundo momento foi o ato público ocorrido na tarde do dia 17, onde as delegações realizaram uma caminhada que culminou na histórica Praça da Liberdade, onde cobrou-se o fim da privatização e da mercantilização da escola pública, bem como a derrubada de governos antidemocráticos do continente.

No domingo 19, foi realizado mais um CNE – Conselho Nacional de Entidades, onde foram decididas as ações da confederação para o próximo período. Também foi discutida uma questão que tem ocupado as lutas dos sindicatos que compõem a entidade, trata-se das indenizações do diferencial do FUNDEF. Foi constituída uma comissão no âmbito da confederação para tratar desta temática, como primeira ação, será realizado um seminário no dia 14 de dezembro para que a comissão e a assessoria jurídica da CNTE possam discutir, compartilhar informações e definir estratégias a serem postas em prática pelos sindicbneatos integrantes.env

bh

. Comentários (0)


Deixe seu comentário

CUT
CNTE
fespumed-bahia