NOSSA HISTÓRIA

NOSSA HISTÓRIA

Após reiteradas lutas classistas no transcorrer do ano de 1991, um grupo de professores ligados aos movimentos da igreja católica solicitou ajuda do então Frei Hermano e o mesmo disponibilizou prontamente um advogado para prestar assistência ao grupo.

Fortalecidos com o apoio da base e do Professor Ozelito Souza Cruz, Professora Nei e Professora Zozó, iniciou-se o movimento que muitas vezes sofreu retaliações por parte da administração municipal, passando até mesmo por cortes salariais, formação insuficiente.

O citado movimento partiu dos professores da Escola José Barreto Filho e encontrou obstáculos no que toca a participação dos desfavorecidos, haja vista o temor da perseguição que estes possuíam.

Fundado em dezembro de 1992 com a nomenclatura de Sindicato dos Professores, contava em sua base com docentes leigos. Alterado em 2004 para Sindicato dos Servidores em Educação, trouxe ao professor após muita luta e conquista o orgulho e luta mais árdua pela valorização profissional, haja vista que em tempos remotos grande era a resistência em ser professor neste município pelo salário indigno que era pago aos mesmos.

Tinha como lutas iniciais o salário mínimo e em dia, o 13º salário, 1/3 de férias e adicional por tempo de serviço, direitos já validados por leis maiores, porém negados municipalmente.

Teve adeptos da luta classista, integrando-se de profissionais de ambos os grupos políticos locais.

Pela insuficiência de recursos, a Igreja Católica, por intermédio do Frei Hermano, arcava com o custeio do deslocamento dos professores interioranos para as mobilizações e assim a luta se iniciava a curtos passos.

Inicialmente, para se manter e estabelecer, o sindicato recebia como insumos adicionais uma ajuda financeira da ONG Terres des Hommes.

Iniciado com o movimento de pouco mais de 50 professores, esta entidade conta hoje com aproximadamente850 associados.


CUT
CNTE
fespumed-bahia