Postado por em 03-10-2017 Imprimir . A+ . A-

ALÉM DE CORTAR SALÁRIOS, PREFEITA DE CAMPO FORMOSO, CONTINUA “PERSEGUINDO E PUNINDO” SERVIDORES

PROMESSA 3Não é de hoje que a Prefeita de Campo Formoso-Ba, Rose Menezes (PSD), declarou guerra aos servidores da educação do município. Porém, à medida que os dias vão passando, a forma como a prefeita vem agindo e o modo como trata os servidores, demonstram quais eram as suas reais intenções, para com os “subordinados”, desde o início do seu mandato. O ano já iniciou com resistência para executar o pagamento do salário atrasado de dezembro de 2016 de forma integral; o que resultou em greve da categoria e após exaustivas tentativas de negociação, a audiência de conciliação procedeu na divisão do salário em duas vezes.

Assim, no decorrer do ano, ocorreuo cancelamento de remoções sem abertura para negociação ou diálogo com a categoria; corte de salário de 05 professores (as) imposto por pura arbitrariedade e desrespeito; dois professores, de Tuiutiba, que estão sendo obrigados a conciliar a carga horária entre dois povoados distantes mais de 50 Km – Tuiutiba e Araras- além de não ter a mínima condição de conciliação pela distância, as condições físicas da estrada, o risco e indisponibilidade de carga horária adequada, impossibilitam o trabalho dos servidores nas duas localidades.  Enquanto isso, as vagas destes professores estão sendo ocupadas por funcionários contratados, os quais atuam em várias escolas da região de Tuiutiba, escolas estas, que os profissionais efetivos citados, deveriam estar exercendo e cumprindo sua jornada de trabalho. Dessa forma, o ambiente de trabalho tornou-se hostil para os profissionais da educação. Tudo em virtude de muitas outras arbitrariedades que vêm intensificando-se, dia após dia, neste desgoverno de desrespeito e desvalorização dos trabalhadores.

Se não bastassem tantos desagrados, o reajuste anual dos trabalhadores da educação foi negado pela prefeita, Rose Menezes (PSD), que persiste em descumprir leis federais, como a do piso do magistério; leis municipais, como os planos de carreira do pessoal de apoio e administrativo da educação e do magistério; e a constituição federal, quando não repassa se quer a reposição salarial anual. Mesmo após várias tentativas, exaustivas e frustradas de negociação, foi deflagrada uma greve pelos trabalhadores da educação, que já perdura por 68 dias. Não acatando o direito constitucional dos servidores (a greve) fez e faz cortes salariais, agem com truculência e maus-tratos evidenciando a arbitrariedade de um desgoverno, que parece não ter limites na desconstrução da educação Campoformosense. Assim, demonstra não ter respeito por trabalhadores; não apresenta o mínimo de sensibilidade humana e não cumpre leis, nem promessas de campanha.

PROMESSA 2É esse o seu plano de governo para os trabalhadores efetivos da educação, que são patrimônio deste município, e não seus trabalhadores particulares e privativos, senhora prefeita? E cadê a “VALORIZAÇÃO DOS PROFESSORES”, ora proposta em sua campanha política? Onde está a “GARANTIA POR DIREITOS ADQUIRIDOS”, que foi sua promessa de campanha? E por ventura, esse, é o seu “PROGRAMA DE MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA DOS PROFESSORES”? Muitos trabalhadores da educação, que lhe confiaram um voto, hoje têm como retribuição: o desrespeito, o destrato, a desvalorização, a humilhação, o descaso e a incerteza do futuro trabalhista e educacional.

Ou o seu plano de governo se resumirá apenas nas palavras simbológicas que outrora apresentou como uma proposta de seriedade? Hoje se concretiza como uma nuvem de fumaça ao vento. Continuará a vender fumaça a qualquer preço? Qual é a sua motivação? É isso que o seu plano de governo tinha para os trabalhadores da educação: E MUITO MAIS, MUITO MAIS, MUITO MAIS TRABALHO? ? ?

. Comentários (0)


Deixe seu comentário

CUT
CNTE
fespumed-bahia