Postado por em 04-10-2017 Imprimir . A+ . A-

UNIÃO DOS SERVIDORES MARCA OS 70 DIAS DE GREVE NA EDUCAÇÃO DE CAMPO FORMOSO

SERVIDORES DE MAOS DADASServidores de mãos dadas, olhos fechados, num ato de “oração coletiva”, assim foi iniciada na manha desta quarta-feira (04), mais uma assembléia extraordinária do SISE (Sindicato dos servidores da educação do município de Campo Formoso). Após este momento de demonstração de fé e unidade a Presidente do sindicato, Marilândia Alecrim, informou a categoria sobre o movimento paredista e os próximos passos, inclusive sobre a mobilização que ocorrera no dia 13 próximo, por ocasião da comemoração do dia do PROFESSOR (que é comemorado dia 15 de outubro).

O assessor jurídico do SISE, Dr. Pedro Cordeiro de Araujo Filho, falou sobre o andamento do processo movido pela categoria contra o município, pedindo a legalidade da greve, o não corte de salários, a reposição salarial e outros assuntos.

SERVIDORES SENTADOSDiante de tanta perseguição por parte da Gestão Municipal para com a categoria, o que se viu na manha de hoje durante a assembléia dos servidores da educação, mais uma vez, foi à demonstração de união, solidariedade da categoria e revolta com a prefeita Rose Menezes (PSD), o deputado Adolfo Menezes e com os vereadores da situação.  A servidora Eliana declarou está decepcionada com o comportamento de alguns vereadores da situação “nunca imaginei que passaríamos por isto, pois, a gestora tem dado demonstração de que não está nem um pouco preocupada com os alunos e os servidores, agora ouvir o discurso demagogo de alguns vereadores que no affair de agradar a Prefeita Rose Menezes, tem usado a tribuna da câmara para desrespeitar e tentar denegrir a imagem de professores e servidores de apoio, chega a ser repugnante.”

A professora Maria disse “aluguel atrasado, divida com água, luz, nome no SPC, SERASA, diversas ligações diariamente dos bancos cobrando os consignados e saldo zerado nas contas, esta é a minha realidade e de centenas de colegas que estamos há três meses sem o nosso digno salário e tudo isso por capricho da senhora prefeita Rose.”

Um servidor que não quis se identificar declarou “2018 será ano de eleição e as promessas feitas pela prefeita Rose e seu irmão Adolfo no ano passado deverão ser renovadas, mas ai nós já estaremos vacinados, disso eles podem ter certeza, pois o sofrimento que eles estão nos causando agora é muito grande, até parece que não têm coração.”SERVIDORES E DIRETORES

No final da assembléia os servidores decidiram pela manutenção da greve, pois agora, segundo os mesmos, já não se trata mais da questão salarial, mas sim da busca por respeito e a dignidade de cada servidor.

A presidente, Marilândia Alecrim, citando a Bíblia declarou “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que não se vêem, é nisso que cremos e temos a certeza que a justiça será feita.”

 

. Comentários (0)


Deixe seu comentário

CUT
CNTE
fespumed-bahia