Postado por em 12-07-2017 Imprimir . A+ . A-

PREFEITA DESCUMPRE ACORDO, NÃO COMPARECE A REUNIÃO TÉCNICA E MANTEM PROPOSTA DE REAJUSTE EM 0%

01Após várias reuniões do SISE (Sindicato dos Servidores da Educação município de Campo Formoso) com a gestão municipal na tentativa de resolver o impasse sobre o reajuste anual dos funcionários da educação a prefeita do município, Rose Menezes (PSD), propôs ao SISE que a categoria analisasse a possibilidade de um estudo técnico conjunto, com o objetivo de buscar uma solução para o reajuste da categoria. Na tentativa da resolução do impasse a proposta foi aceita pelo sindicato e solicitado ao município os dados necessários para o estudo técnico das contas municipais da educação e do FUNDEB, tornando assim os valores das entradas e saídas conhecidos de todos servidores.

Enquanto aguardava um novo posicionamento da Prefeita Rose Menezes, a diretoria do SISE continuou sua movimentação e buscando fortalecer e preparar ainda mais os servidores da educação dando total condição de debater com a gestão, trouxe a Campo Formoso em parceria com a CNTE, técnicos com amplo conhecimento na área de analise técnica de financiamento educacional, entre os dias 03 e 04 de julho, para realizar oficinas sobre o assunto, porem os dados das contas do município, não foram cedidos, o que em nada prejudicou o trabalho dos técnicos, pois o grupo de estudos buscou tais dados em fontes como: TESOURO NACIONAL, TCM, RECEITA FEDERAL, PORTAL DA TRANSPARÊNCIA, BANCO DO BRASIL, INEP E OUTROS.

Passados os dias e decorrido o prazo pedido pela Prefeita Rose Menezes, hoje (11) de julho, os representantes sindicais dirigiram-se até a UAB (Universidade Aberta do Brasil), antigo mercado velho, local designado para a reunião agendada pela gestora municipal, porém a prefeita não compareceu. Representando a gestão municipal compareceu o Secretario de finanças, Sr José Manoel Marcondes Osório, a Controladora interna Maria Celeste e dois técnicos contratados pelo executivo, os quais apenas externaram o que já havia sido exposto pela Prefeita Rose em outros momentos, proposta de 0% de reposição neste momento e sem perspectivas de reajuste para os próximos cinco anos.

Na reunião desta terça (11) os representantes do executivo municipal voltaram a declarar algo que vem sendo usando rotineiramente pela gestão, “que o salário dos servidores públicos da educação é o vilão ou culpado pelo desequilíbrio financeiro do município”, o que foge completamente a realidade, pois se há desequilíbrio financeiro nas contas do município é fruto da má gerencia dos gestores do município que deixaram e deixam de cumpri a lei.

Neste momento a única coisa sensata e legal a ser feita pela gestora municipal é cumpri as Leis que amparam o direito do servidor e conceder o reajuste salarial anual da categoria.

ASCOM SISE

. Comentários (0)


Deixe seu comentário

CUT
CNTE
fespumed-bahia